Dicas

Para ter um carro blindado, por onde devo começar?

Se sua ideia é adquirir um automóvel zero-quilômetro para mandar blindar, é preciso escolher a blindadora com muito cuidado, pois tem que pesquisar bem. Uma vez com pesquisas ou indicações nas mãos, verifique a documentação específica do estabelecimento, se a empresa tem alvará de funcionamento, certificações no Exército o (CR), alvarás e vistorias da Polícia civil o (DPC) e também faça uma checagem no CNPJ e I.E. , para saber se você não terá problemas futuros, mas saiba que as blindadoras associadas a (Abrablin), já tem uma boa parte dessa documentação checada pela associação, a cada seis meses e com isso, você já pode dar uma boa peneirada nas suas cotações.

Deve atentar-se para quais tipos de materiais são utilizados na blindagem, se eles são testados e aprovados pelo exército e se os fornecedores fabricantes estão autorizados para tanto, mas (Peça isso ao vendedor). Observada essas comprovações com os documentos (RETEX e TR) dos mesmos, pois apenas com todas essas formalidades cumpridas à risca você poderá, ao final do processo, obter o certificado de registro da blindagem no Exército, Polícia Civil e depois no DETRAN, também poder fazer a documentação e o seguro do seu veículo. Se no momento em que você pedir algum desses documentos e o vendedor começar com um “veja bem…”, é um mau sinal.

Posso visitar a oficina (Blindadora), para saber como meu carro está sendo blindado?

Não só pode, como deve. Uma vez verificada a documentação, vale a pena visitar as blindadoras pré-selecionadas. Mas não se contente e nem se impressione com o showroom. Exija uma visita à oficina ou (Fábrica). Peças espalhadas pelo chão e funcionários de bermuda, calça jeans ou chinelos são um péssimo sinal, pois todos devem estar uniformizados, utilizando equipamentos de segurança e de acordo com as leis trabalhistas vigentes, mas também não se impressione com oficinas (Fábricas) faraônicas, pois muita gente compra gato por lebre e fica feliz, achando que fez o melhor negócio do mundo.

Transparência faz parte do processo. Converse com o responsável pela fábrica, veja os veículos que estão sendo blindados, questione sobre a procedência e a marca dos materiais empregados (painéis balísticos, vidros, aço, etc…) e ao fechar o negócio, peça para que a blindadora faça um cd de fotos de todos os pontos do processo de blindagem e também incluir em contrato todas as especificações técnicas desses materiais e suas marcas, também uma permissão de visitas periódicas para ver a montagem do seu veículo, verificando assim, se os materiais especificados, estão realmente sendo aplicados, conforme descritos.

Quanto pesa uma blindagem? É verdade que faz muita diferença no desempenho do carro?

Uma blindagem pesa em torno de 150kg á 220 kg, mas para ter certeza do peso, peça sempre às especificações técnicas dos materiais aplicados e suas quantidades, pois com isso você terá a certeza do peso final. Dependendo da motorização do veículo, o peso excessivo faz muita diferença no consumo e desgaste das partes mecânicas, gerando um índice maior de manutenção. Hoje existem materiais mais leves no mercado, que proporcionam menos desgaste nas partes mecânicas e menor consumo de combustível.

Quais os procedimentos de segurança que devo tomar?

A grande maioria dos assaltos a veículos ocorrem quando seu proprietário está entrando ou saindo do veículo, ou chegando e saindo de casa. Por isso antes de fazer estes procedimentos, verifique a movimentação de pessoas ao seu redor. Após entrar no veículo, acione imediatamente as travas das portas.

Em caso de uma abordagem com a tentativa de agressão armada: Mantenha a calma e saia do local o mais rápido possível, com segurança. A blindagem do seu veículo permite que você, mesmo sendo alvejado, consiga sair da situação de risco.

ATENÇÃO: Não tente reagir, lembre-se que o agressor tem a vantagem do fator surpresa e estará disposto a tudo para atingir seu objetivo.

Qual é a garantia que as blindadoras geralmente dão à blindagem e aos vidros?

A garantia padrão é de três anos. Em alguns casos, como o da Steel Blindagens, a garantia opaca é de 5 (cinco) anos, sem limite de KM. No momento em que o carro é entregue, o cliente recebe da blindadora toda a documentação legal, além de um manual, que é uma espécie de livrete de revisão e garantia, que traz desde informações técnicas da blindagem, até instruções para a utilização do veículo blindado, peça esse manual, para saber exatamente quando fazer as revisões e os prazos de garantia.

No que consiste a blindagem de um veículo?

Resumidamente, em proteger o automóvel nas grandes extensões opacas, transparentes e cuidar para que haja proteção das interseções, com proteção de “Overlap’s” que garantam que nenhum disparo vá atingir os ocupantes do habitáculo. Na parte opaca, as proteções são feitas por painéis balísticos (que tem como nomes comerciais Kevlar da Dupont, ou o Twaron da Teijin ou até mesmo como “mantas”), que são os mais comuns e que tem maior durabilidade, se forem totalmente vulcanizados, tornando-os a prova d’agua. Nas colunas internas e “Overlap’s” são de aço 304L de 3,0mm. Nas transparentes são os vidros, que por sua vez é um composto de polímeros, policarbonato e vidros, que variam de espessuras, de acordo com seus níveis de proteção, mas cuidado ao escolher os vidros, pois existem vários tipos e composições, que nem sempre será o melhor para o seu veículo e poderá ter um peso excessivo, causando problemas de desgastes de manutenção e consumo de combustível exagerados.

Fala-se muito em “Overlap’s” como sendo apenas no espaço entre portas e carroceria, mas é muito mais do que isso. Ele se refere a qualquer sobreposição, qualquer emenda, seja nos vidros das portas, nos fixos, no teto ou mesmo por dentro, entre as proteções dos painéis balísticos.

O aço que é aplicado deve também ser de uma especificação técnica, como o 304L de 3,0mm forjado a frio, que tem uma alta concentração de CrNi, aceitando ser soldado na carroceria, proporcionando uma maior elasticidade, revestidos com E.V.A. e que devem ser aplicados somente com buchas “Rivkle”. (buchas especiais antioxidantes), fixadas no gabarito do veículo, com rosca interna para fixação de parafusos de aço, sem deixá-los em contato com a lataria, evitando assim, rangidos e o espanamento precoce das fixações.

A blindagem padrão sempre deve incluir no pacote sirene e cinta de rodas?

São itens que se tornaram padrão na blindagem. Mas você pode optar por não ter esses itens, instalados. A instalação de sirene é proibida para veículos civis, pela lei nº 9.503 e seu veículo poderá ser apreendido com esse equipamento.

Quanto tempo demora um processo de blindagem?

De 30 a 45 dias úteis e caso queira ver seu automóvel sendo blindado, o ideal é visitar a blindadora exatamente na metade do processo, mais ou menos em 20 dias úteis, ou perguntar ao vendedor, se o processo de blindagem já está na metade, ou na instalação da parte opaca. Esse processo poderá ter o seu prazo alterado ou sofrer algum atraso, pois como as empresas de blindagem necessitam de uma autorização prévia do Exército Brasileiro e essa autorização só pode ser solicitada via sistema do Exército o “SISCAB” e se esse sistema estiver fora do ar, a empresa blindadora terá que aguardar, até que o mesmo volte a funcionar para dar andamento na blindagem.

Como identifico uma blindagem bem-feita?

Para começar, não deixe para examiná-la ao final do processo. O que não faltam no mercado são casos em que o acabamento é perfeito, mas com utilização de materiais de blindagem que deixam muito a desejar. Bons acabamentos podem camuflar blindagens ruins.

Verifique como estão aplicados os painéis balísticos “mantas”, o cuidado na colagem, sem muitas emendas, ou retalhos, se as colunas estão com os aços aplicados e embuchados com Rivkle, se existem as proteções nas caixas de maçanetas, vão de retrovisores, overlap’s de tampas, fixos e outros, soldados na carroceria, pois a qualidade e o cuidado na aplicação desses materiais são imprescindíveis para o veículo ficar bem protegido.

Pode parecer estranho ver seu carro todo desmontado. Mas vai valer à pena e lhe proporcionará maior segurança, saber como a blindadora aplica os materiais balísticos e se esses são exatamente o que você comprou realmente.

O que são Overlap’s?

Se você está comprando seu primeiro veículo blindado, já ouviu ou vai ouvir este termo várias vezes. Se não ouvir, deveria ficar desconfiado com o vendedor, pois o OVERLAP ajuda a salvar vidas. Conforme a própria tradução da palavra diz, o OVERLAP é a sobreposição de materiais para eliminação de pontos vulneráveis (também chamados de “gaps”), lacunas entre materiais que podem passar bala na blindagem. Resumindo, o “Overlap”, tem a finalidade de impedir os “gaps” nas intersecções de vidro-carroceria e portas-carroceria, caixas de maçanetas, tampas, lanternas, base dos retrovisores e ainda nas passagens de cabos, dobradiças, fechaduras, luminárias e outros furos de passagem.

Como identificar a blindagem com “Overlap’s”?

Mesmo não sendo um “expert” em blindagens, você pode conseguir visualizar o “Overlap” nas portas, na tampa traseira em (hatch’s, peruas e utilitários) e vidros nos fixos. Nos outros pontos da carroceria (fechaduras, lanternas, etc.), somente removendo a forração interna do veículo para poder visualizar o “Overlap”.

Um automóvel blindado fica mais, ou menos seguro, em caso de colisão?

Em tese, fica mais seguro. Mas não existem testes conclusivos para validar essa hipótese. A segurança maior é proporcionada pela preservação das regiões de deformação do veículo (o que uma boa blindagem mantém) e pelo reforço no cockpit.

Que cuidados devo ter para conservar a blindagem, em especial os vidros?

O tempo não costuma comprometer a blindagem em sua área opaca (O Aço não degrada e os painéis balísticos “manta”, desde que sejam totalmente vulcanizados e a prova d’agua). Mas, no caso dos vidros, é preciso tomar cuidado em relação à conservação. Eles não devem ser limpos por dentro com derivados de petróleo e nem abrasivos, pois esse tipo de material pode estragá-los. Podem ocorrer ainda trincas nos vidros, causadas por alguns fatores como: impactos (de uma pedra, por exemplo), bater a porta para o fechamento, com os vidros abaixados, choque térmico (Por exemplo; jogar água em um vidro de um veículo exposto muito tempo ao sol, que é um fator, que também não deverá ocorrer, pois o sol é um grande inimigo do vidro blindado), também em torções na carroceria (é preciso ter cuidado com lombadas e valetas). Com o tempo, o vidro também delamina (Aparecem bolhas de ar esbranquiçadas). Se isso começar a ocorrer, deve-se levar o veículo à blindadora, para verificar se não houve perda de eficácia na blindagem e receber orientações do que deverá ser feito.

É melhor blindar um carro novo, ou já adquirir um veículo usado blindado?

A resposta depende da condição econômica. Se você estiver se apertando demais para adquirir um blindado okm, deve pesquisar no mercado de seminovos, pois há excelentes opções, com relação ao custo-benefício e bastante interessantes. Veja abaixo…

Como comprar um veículo blindado usado?

O Brasil tem hoje a uma das maiores frotas de carros blindados do mundo. Diante da popularização da blindagem e da quantidade de veículos nas ruas, acaba se tornando mais fácil encontrar modelos usados/seminovos para a venda.

Mas quem tem a intenção de comprar um veículo nessas condições, deve ficar atento a alguns possíveis desgastes e problemas que o veículo possa ter, mas para que o negócio não vire sinônimo de prejuízo. Na maioria dos casos, o comprador não tem a mínima ideia do que está “por baixo dos acabamentos” do veículo e nem o quanto irá gastar em manutenção, documentação, etc. Essa situação é complicada quando optar pela compra de um veículo usado, pois você não terá a possibilidade de escolher e nem ver os materiais aplicados e ter que acabar confiando no vendedor, mas para isso, antes da compra você deverá solicitar primeiro que:

O veículo tenha a documentação da blindadora que fez a blindagem, que a documentação de porte obrigatório do veículo já esteja totalmente regularizada, conforme as leis vigentes (Onde deverá constar a observação de “modificado Blindagem” no CRLV), pois sem essa documentação, as seguradoras não fazem o seguro e também o veículo poderá ser apreendido em uma blitz policial e para regularizar depois fica muito caro e trabalhoso. No estado de São Paulo, foi assinado um decreto em Outubro de 2013, que obriga a todos os proprietários de veículos blindados, a fazer o seu registro na Polícia Civil, no Departamento de Produtos Controlados, onde a partir de agora, você deverá exigir do vendedor, a declaração do Exército original, ou cópia autenticada e a nota fiscal da blindagem original, ou cópia, pois sem esses documentos, o IPVA será bloqueado e você não vai conseguir licenciar o seu veículo blindado e também pode rá ser apreendido em fiscalizações.

E segundo: Peça para o vendedor, que seja realizado um laudo técnico ou check-up dessa blindagem que já existe no veículo, por uma empresa especializada e só assim você saberá se estará realmente protegido. (A Steel Blindagens oferece esse check-up, sem custo), pois serão verificadas as partes internas, onde você não vê.

Procure comprar um modelo com câmbio automático, que não traz o risco de o carro morrer em uma fuga. Os vidros elétricos têm de ser testados cuidadosamente, pois como os vidros são mais pesados, eles podem ter parado ou não funcionar corretamente. Veja nas películas dos vidros, se tem algum descascado, manchas, bolhas ou trincas e as travas das portas e tampa, devem funcionar perfeitamente. A suspensão de um carro blindado sempre sofre mais que a de um carro normal, pois a blindagem chega a pesar 230 quilos. Veja se tanto os amortecedores e molas quanto o sistema de freios se estão bem. Uma pessoa que anda de carro blindado quer os vidros fechados o tempo todo. Então o ar-condicionado também tem que estar funcionando corretamente e limpo.

Peça para verificar se o carro blindado tem as chamadas “cintas” de aço ou de borracha, que vão dentro dos pneus, para poder rodar mesmo com eles furados, no caso de um ataque. Veja se o carro tem uma tira de aço que fica no vão entre as portas e os batentes ou nos quadros das portas. Essa tira é chamada de “Overlap ou frame”, muito importante na proteção balística. Como o carro é todo desmontado para a blindagem, pode haver peças de acabamento soltas. Um test-drive pode denunciar ruídos de peças mal colocadas. Confira se as borrachas de vedação estão perfeitas, para evitar futuras infiltrações.

Observe os vidros; eles não podem apresentar bolhas distorções ou trincas – o que reduz a capacidade de absorção aos tiros. Verifique o estado dos amortecedores e freios, pois devido ao peso excessivo do carro após a blindagem, esses itens sofrem maior desgaste.

Confira o nível de proteção da blindagem, o nível 3A é o mais comum no Brasil, sendo seguro para armas de mão até o Magnum 44. As cintas internas dos pneus devem estar em perfeito estado, garantindo assim a rodagem, caso os pneus fiquem vazios.

Olhe com cuidado os vidros elétricos: o peso extra pode prejudicar a abertura e fechamento, veja se sobem com facilidade e se a abertura não é parcial, pois irá criar dificuldades em pedágios e outras cancelas.

Porta raspando no assoalho ou colunas é sinal de desalinhamento.

Verifique se frisos, borrachas e vidros estão alinhados.

Ao fazer o test-drive, cheque se o carro pende para os lados, se o volante trepida ou se há algum ruído suspeito.

Por fim…, com tudo isso, você já poderá comprar um veículo blindado usado, mas na dúvida, leve o carro para a Steel Blindagens, que verificamos todos esses itens para você, sem custo.

Como fazer a manutenção do meu veículo blindado?

Primeiro, procure sempre uma empresa especializada e certificada pelos órgãos do governo, (Exército e Polícia civil) para fazer esse tipo de manutenção. A Steel Blindagens é certificada, faz orçamentos na hora e facilita o pagamento.

Verifique se as instalações da empresa são adequadas e peça para ver os veículos que estão em manutenção no local. Acompanhe a confecção do orçamento e questione cada item orçado e peça nota fiscal.

Cuidado com empresas que sugerem para que você retire a camada de policarbonato dos vidros, para eliminar as bolhas, e dizendo que você vai economizar com isso. “Não caia nessa”, pois essa camada é que faz a proteção balística do vidro e sem ela, o vidro perde a sua capacidade de absorção de tiros e você correrá risco de vida, no caso de um ataque.

A Steel Blindagens faz um check-up geral na blindagem do veículo, sem custo e analisando internamente, o que é necessário reparar, pois alguns veículos não tem overlap’s, caixas de fechaduras, barras e maçanetas e tem vários gap’s de passagem, comprometendo bastante a sua segurança.

O que é delaminação em vidros blindados?

É o processo de separação (descolamento) entre as lâminas de vidro e de policarbonato, que constituem o pacote balístico de um vidro blindado.

Quais são as causas da delaminação?

O pacote balístico de um vidro blindado é formado por materiais diferentes e, consequentemente, propriedades físicas diferentes (índice de dilatação, absorção ao calor, etc.). A continuada exposição ao calor e umidade e o contato direto com os adesivos utilizados na instalação do vidro contribuem para o processo de delaminação.

Por tanto, não deixe o veículo exposto ao sol com muita frequência. Todo vidro blindado laminado (independentemente de fabricante, origem, material utilizado, etc.) irá entrar em processo de delaminação com o passar do tempo. Os melhores vidros balísticos do mundo têm em sua composição o policarbonato e polímeros especiais.

A delaminação afeta a proteção balística?

O vidro blindado delaminado tem seu nível de proteção original reduzido.

Testes têm demonstrado que, geralmente, o vidro blindado delaminado resiste bem ao impacto do primeiro disparo, entretanto perde significativamente a capacidade de proteção nos impactos subsequentes.

Ventosas de aparelhos de GPS prejudicam o vidro blindado?

Para quem não sabe, as ventosas dos aparelhos GPS são um problema sério para a conservação dos vidros blindados. O uso constante destas ventosas nos para-brisas blindados provocam delaminações e, consequentemente, trincas na área onde foram instaladas. Há vários casos, cujo para-brisa teve a camada de policarbonato trincada em menos de dois anos e acabaram perdendo a garantia do vidro (imaginem a frustração…). A recomendação é que o aparelho de GPS seja instalado no painel do veículo.

Como devo proceder com a documentação do veículo blindado?

De acordo com o DECRETO LEI Nº. 3665 – PORTARIA 013 (NORBLIND) a RESOLUÇÃO CONTRAN nº. 334 06/2011 – REF: CONTRAN Nº 292/2008, DELIBERAÇÃO Nº 75 DE 29/12/2008 e o Decreto Nº 59.218/2013 (POLÍCIA CIVIL – SP)

O Exército Brasileiro por intermédio de seu Departamento Logístico aprovou a Portaria Dlog. nº. 013 de 19/08 que reza sobre as normas reguladoras dos procedimentos para blindagem e demais atividades relacionadas com veículos blindados (NORBLIND) e a resolução do CONTRAN de nºs 292/2008, 334 de 06/2011, dirigido para todos os DETRAN’s.

Essas normas têm por finalidade regulamentar a blindagem de veículos de passeio, com a obtenção do Registro e a inserção da observação de “veículo blindado no C.R.L.V.”, o qual é obrigatório por lei e o registro no Departamento de Produtos Controlados da Polícia Civil e a não regularização desse procedimento, implicará na apreensão do veículo.

Entenda os documentos obrigatórios das blindadoras: Não basta que a empresa blindadora tenha o CR (Certificado de Registro) no Exército, sem o qual a blindadora não pode atuar no segmento. A empresa precisa ter Alvará da Polícia civil o D.P.C. e uma autorização específica do Exército, para cada veículo a ser blindado. Esse requerimento deve ser feito em formulário próprio e enviado à Região Militar (R.M.) em que a blindadora está registrada. Esse procedimento visa evitar que carros blindados sejam utilizados por pessoas não idôneas.

Para blindar um carro, é necessário apresentar RG, CPF, comprovante de residência, certidões negativas tiradas nos fóruns criminais da Justiça Federal, Estadual e Militar dos últimos cinco anos. Se o carro for de empresa, também será preciso apresentar CNPJ e Certidão de antecedentes dos distribuidores da Justiça Federal, Estadual e Militar de cada um dos sócios administradores ou gerentes, das Comarcas onde tenham sido domiciliados nos últimos cinco anos.

A Região Militar autoriza a blindagem do veículo e faz seu cadastramento no sistema de controle do Exército. O DFPC (Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados) então repassa os dados cadastrais aos Denatran’s (Departamento Nacional de Trânsito), em Brasília, que faz o registro junto aos órgãos estaduais de trânsito. São exigidos, uma cópia do Termo de Responsabilidade da blindadora, com requerimento do proprietário, mais cópias da autorização de blindagem e do certificado de licenciamento, que serão enviadas à Região Militar, que emitirá uma autorização com todos os dados do veículo e do proprietário, depois, de acordo com a legislação de transito o documento do veículo, deverá ser vistoriado pelo INMETRO e a sua documentação (CLRV) retificado, constando no corpo desse documento do veículo a observação de veículo blindado ou “Modificado Blindagem”, Mas antes de tudo isso será obrigatório fazer o registro do veículo, no Departamento de Produtos Controlados da Polícia Civil para a retificação e assim, você estará utilizando um veículo blindado legalizado, conforme as leis vigentes.

Veja a lista de documentos exigidos para regularização:

Pessoa Física:

  • Cópia autenticada do Certificado de Registro de Licenciamento do Veículo (CRLV), (DUT).
  • Cópia autenticada do RG e CPF.
  • Cópia autenticada do comprovante de residência ATUALIZADO (necessário apresentar conta de consumo, sendo: água, luz, telefone, TV a cabo ou gás, do mês vigente)

· Cópia autenticada ou original do Termo de Responsabilidade da Blindadora.

· Cópia da Declaração de Blindagem do Exército Brasileiro para blindagem de veículo de passeio, que hoje é fornecida com QR CODE, comprovando a sua validade no site do Exército.

· Cópia autenticada de prova de ocupação lícita remunerada e habitual (ex. comprovante de vínculo empregatício, se sócio de empresa contrato social, autônomos apresentar carteira funcional, tais como OAB, CRM, CREA, CRC, etc., com a cópia da taxa de anuidade paga).

· Procuração,(modelo a ser confeccionada por nós posteriormente, com firma reconhecida por autenticidade).

· Requerimento padronizado (modelo a ser confeccionado, preenchido e reconhecido firma por autenticidade).

· Declaração de responsabilidade (modelo a ser confeccionado, preenchido e reconhecido firma por autenticidade).

Pessoa Jurídica:

  • Cópia autenticada do Certificado de Registro de Licenciamento do Veículo (CRLV) em nome da empresa.

· Cópia autenticada do R.G. do responsável pela empresa.

· Cópia autenticada do CPF do responsável pela empresa.

· Cópia autenticada do cartão do CNPJ.

· Cópia do comprovante de inscrição Estadual – DECA (atual CADESP);

· Cópia autenticada do Contrato Social.

· Cópia autenticada da procuração, quando for o caso.

· Cópia autenticada do comprovante de endereço da empresa, dos sócios, ou procurador, se for o caso; ATUALIZADOS (necessário apresentar conta de consumo, sendo: água, luz, telefone, TV a cabo ou gás, do mês vigente)

· Cópia autenticada ou original do Termo de Responsabilidade da Blindadora;

· Cópia da Declaração de Blindagem do Exército Brasileiro para blindagem de veículo de passeio, que hoje é fornecida com QR CODE, comprovando a sua validade no site do Exército.

· Procuração com firma reconhecida, por autenticidade.

· Requerimento padronizado (modelo a ser confeccionado, preenchido e reconhecido firma por autenticidade).

· Declaração de responsabilidade (modelo a ser confeccionado, preenchido e reconhecido firma por autenticidade).

· Para os dois casos, será necessário enviar o C.R.V. original do veículo, para retificação.

  • A documentação relacionada corresponde ao procedimento administrativo de regularização de veículo blindado junto ao Exército e Secretaria de Segurança Pública de São Paulo – SP.
  • Nos casos em que o veículo foi licenciado em outro Estado, a referida regularização deverá ser efetuada junto ao órgão do Estado de origem do veículo e, para tanto, as exigências, valores, prazo e tempo de execução irão modificar conforme cada Estado, necessitando de uma consulta prévia junto ao órgão.
  • Lembramos ainda, da necessidade de retirar atestado de antecedentes criminais junto ao Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt – I.I.R.G.D, desta forma, necessitamos que o documento de identidade (RG) seja de um brasileiro com o documento expedido em São Paulo. Vale lembrar que tratando-se de estrangeiro (RNE), bem como documento de outro Estado, a solicitação e retirada da referida certidão far-se-á somente ao titular do documento.

No caso de a blindagem não ser feita pela Steel Blindagens, será necessário encaminhar uma procuração a favor do nosso despachante.

Não havendo documentação da blindadora por perda, deverá ser feito um laudo por uma empresa de blindagem especializada, para que o Exército aprove o processo.

Se ainda houver dúvidas em como proceder na aquisição de blindagem, veículos blindados, manutenção e documentação, envie sua pergunta para a Steel Blindagens!